Pages

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Deus me ajude

Olha e aqui novamente.
Mais uma vez precisando de ajuda.

Do último post pra cá, nem sei. Reli meio que não lendo, prevendo a decepção.

Não sei muito bem pq decidi escrever hj, não ando muito disposta.
Apenas pensei enquanto ouvia os blábláblá's do amigo uber: preciso escrever. Preciso.

Preciso dizer que ando saturada dessa rotina absurda, saturada.
Não sei o que me leva a crer, o que me faz pensar que eu devo me sacrificar para os meus amigo.
Não entendo qual o medo em fazer, eu, coisas por mim mesma/para mim mesma.

Amiga Carol mais uma vez pisou na bola, só pra variar. Algo morre dentro de mim toda vez que ela o faz. Não sei se ela sabe disso, acho que não. Sinto que logo é minha hora de partir.

Amigo Uber... bem, esse é o que eu menos sei, a princípio. Eu sempre penso em ir, mas ao mesmo tempo algo me faz ficar. Algo além dos mimos e agrados. Algo que me prende. Não sei explicar o que .
Fico meio assim de magoá-lo. Sou inconstante, não quero nada com nada. Ele precisa entender isso.

Preciso dizer também que conheci um carinha muito legal. Muito mesmo. Não é fisicamente como eu eu gostaria que fosse, mas nos entendemos. Penso nele todos os dias. Queria que fosse mais fácil simplesmente estar com quem gostamos de estar.

Terceira vez no mês que fico menstruada, comecei a tomar um composto vitamínico e faltam 3 meses para acabar o ano.
Estou apavorada.
Enem, Vestibular, eu e essa minha vida.

Decidi parar com as festinhas. É sempre muito difícil parar. O que não faltam é pessoas e propostas... Tentações, Facilidades...
Nunca pensei que seria tão fácil... Nunca pensei que seria tão difícil.

Ando desanimada, inconstante, confusa. Engordei 4kg.
Preciso urgentemente mudar. Recomeçar. Transformar.

Deus me ajude.







quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Doidinha

Eu sou bem doidinha do amor né cara.
tava lendo uns posts de 2016, e nossaaaa. alguém ajuda ela.

só pra constar, estou com uns boymagia bem interessantes. Bem naquele perfil que eu gosto.
kk

PRECISO ESTUDAR!!!

Seria cômico se não fosse trágico

MEEEEUDEUSDOCÉU, quem sou eu na fila do pão, não é mesmo?

Reli o último post, e uau. quase 4 meses passaram-se e eu continuo ladeira abaixo.
Faculdade, abandonei mesmo. Não era a intenção, mas foi inevitável.
Aquele esquema de perder muitas aulas de uma mesma matéria, e quando tenta correr atrás, não se entende mais nada; E vai chegando no segundo período, logo já é terceiro... daqui a pouco nem vou mais e pronto, já era.
Burra. Burra.
Como pude nunca perceber? Que felicidade e realização vai alémm... muito além...
Que pra concretizar algo realmente, eu preciso sair dessa merda desse mundo acadêmico!
Oficializar uma profissão, ir embora ou não, escolher, querer e de fato poder.

O foda é sentir perder tempo cronológico, mas a experiência resultante daquilo ser crucial para tirar um certo "véu de ilusão".
Ilusão em todos os aspectos: familiar, afetiva, financeira, social... Em todos mesmos.
Quem sou  eu completando 24 anos nesse mês? Quem sou eu sem um pau pra dar num gato.
Uma fodida. pff. coitada. kkkkk
to rindo mas tô chorando.
Preciso me enxergar de fato.
Preciso de um choque de realidade. E acho que ele ta acontecendo agora. Nesse exato momento.

Que fase não? Maluca dos roles, tá em todas! Bebe igual uma condenada, fuma mais ainda. Arruma uns pretendentes mas pra lá do que pra cá.
Arruinada me define.

Minha grande melhor amiga me decepcionou tantas vezes que nem sei mais o que sentir. É como se já pudesse esperar qualquer coisa, sabe?

Passei por tantas de abril pra cá... tantas histórias... tantas...
A loucura é que já era pra eu ter passado por tudo isso, há uns 5 anos atrás... Aí agora velha, me transformo nisso aqui, uma louca desvairada.
Que loucura eu.
Mas sabe o que é o mais louco? é que eu não me arrependo completamente. Isso que acredito ser o pior dentro do coração; é se arrepender, mas não.

Tô decepcionada com muitas coisas. Coisas e pessoas.
Saí da casa do meu pai. E isso me dói todo dia. Todo dia eu penso e lembro, e dói um pedacinho no coração.
Vi ele uma vez e num período de 45 dias. Isso é bem pesado pra mim. A gente não tava bem por minha culpa. Eu tava virada numa doida. Não que não continue, mas estou menos, eu acho.

O que eu tenho pra dizer? Meus pais estavam certos. Tudo o que me disseram com relação a minha própria vida, estava certo.
Burra fui eu achar que sabia de algo. Sabia nada. Continuo sem saber. Mas ao menos percebo a bosta que sou.
Percebo, e preciso parar de fingir que não.

ENXERGUE-SE, eu deveria tatuar. Enxergue-se. Quem é você na sociedade, quem é você pra você mesmo? O que eu estou fazendo de mim mesma?
24 anos. Tô arrasada.
Preciso sair dessa.







quarta-feira, 26 de abril de 2017

O que você se tornou Gabriela?

Aiai Gabriela, o que fazer com vc Gabriela?

Releio os últimos posts e penso: o que será de mim?
A verdade é que preciso de ajuda. A financeira todos já sabem, digo a psicológica mesmo.
Que eu erro, erro, erro. E não aprendo. Caio de escadas, lesiono joelhos, aranhas me picam, dores de dentes avassaladoras... e eu? Não aprendo. 
Realizo meu sonho da faculdade e estou há 1 ano atrasada.
E o que eu faço para mudar minha vida? Vou a festas e mais festas, durmo até o horário do almoço e não tenho dinheiro nem para fazer as sobrancelhas. 

Quem é você Gabriela?? O que você se tornou Gabriela??

Sabe o que eu descobri? 
Que a doença do momento é a depressão, e que o mal da sociedade é a droga.
E sabe do pior? Vivo na linha tênue desses males.

Segundo mês de aulas na faculdade e eu apareci em apenas um. Perdi provas, trabalhos, relatórios, laboratórios, e mais um semestre da minha vida.
E por quê? pelo quê?
Não sei dizer. Só sei dizer: preciso de ajuda.

Não existe um culpado além de mim mesma, existe? 
A pobreza, os vícios, os problemas familiares/espirituais, as carências afetivas, as más companhias, minha classe social... 
A culpa é minha por ser fraca e burra, simplesmente?


Me aconteceram umas coisas bem sinistras nos últimos tempos. Não sei bem se sinistra é a palavra, mas foi a primeira que me veio como descrição quando pensei nos eventos brevemente.

Carolzinha ficou solteira, pós isso abracei a causa de amiga parceira e abandonei todo o meu mundo acadêmico. Festa é meu sobrenome, bebidas... ganja... cigarros... garotos...
Thales naqueles rôles destrutivos (percebo que todos os meus amigos são meio frágeis, vulneráveis).
Ana se afastou, Léo... Juan... Jô...
Quem são essas pessoas para mim e para si mesmas? 

Saí com o amigo Uber. Esse, sem sombra de dúvidas têm sido o meu melhor erro. 
Melhor no sentido de me salvar de algumas depressões. Mas mesmo ajudando, continua sendo um erro. Um gravíssimo erro. 
Deus me perdoe por brincar com os sentimentos dele. Deus me perdoe, Deus por favor me entenda.

Gustavo voltou a assombrar meu coração. Assumiu-se cafajeste e eu me assumi louca de pedra. Louca de pedra, louca por ele.
A merda toda é que eu realmente sou louca por ele. Submeto-me a situações absurdas, participo de cenas cômicas, construo laços invisíveis.
A perdição nisso tudo é que um encontro é sempre melhor que o outro. Ou seja, a última memória sempre instiga a um próximo reencontro. E deus, ele é tão gostoso. Todo gostoso.
Porém, não vale nada. Nada, nada, nada. A ponto de ter uma namorada e achar "comum" me buscar meia noite pra ir pra casa dele. Achar coerente ter ciúmes de mim com meus gatinhos, dar shows de "não aguento te imaginar com outro".

Só me resta rir, não é mesmo? Rir da minha condição miserável, rir por ser 6:30 da manhã e eu não ter dormido ainda. Rir por ter plena certeza que mais um dia não irei para a aula.
Rir para não chorar.

Mas sabe, na última Fazenda eu tive uma experiência transcendental (obrigada amigo Uber).
Eu tenho salvação ainda. De verdade. 
Nunca é tarde para recomeçar.
Nunca é tarde para mudar.

Pensei num plano já: Refazer o vestibular. Reconstruir minha personalidade. Refazer minhas verdades. Renovar minhas companhias, repensar meus valores.

Sei que parece difícil lendo tudo isso junto assim. Mas eu tenho 4 meses para fazer isso. Para mudar minha vida, para recomeçar da onde eu parei.
Só preciso de ajuda. Ajuda e força. Força e disposição. Disposição e Objetivo.
Deus me ajude.




 


 

sexta-feira, 10 de março de 2017

Foco, força e fé

Início de semestre, fiz tudo o que não poderia ter feito.
Ai meudeus, me ajuda.

fiz umas loucuras tão divertidas que nem sei como explicar.
Findi véspera de aulas teve só pedrada.
Encontro com o gato do carnaval, aniver Carolinda, aniver negão piranha.
De quebra reencontro da galera da facul, só rolê inconsequente. Ai meudeus.

Vim pra dizer que tô melhor, que minha nova trilha sonora é um baita de um rap. Bk, pesquisa no google. #ficadica
Essa semana viajei um monte, mas não pode mais.
3h da matina, amanhã tenho aula. 7:30.
O que fazer?

vou me programar pra ir. Deus me dê forças.

Sobre a vida amorosa, ehhh. Já esteve pior. kkk
Escorpiano chega amanhã na ilha; carnaval rendeu; novinhos nervosos.
é o que dá pra revelar por hoje.

Ando me sentindo meio blindada, sabe? Sem muitas expectativas pra relações amorosas.
Preciso focar em estudar na moral.

Grata que a menstru veio, sempre um drama, tenho que parar com isso também.

Por favor Gabriela, por favor.

Preciso ir nessa. Pesquisar mais umas coisas sobre a facul, e me agilizar.
FOCO, FORÇA E FÉ.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Despedida

Olha que tô achando que lua em peixes me abala pra cacete hein.
Gosto de reler o ultimo post antes de escrever o próximo. Acho que pra fazer um breve balanceamento. Sei lá.
Lua entrou em Áries hj, mas os resquícios de peixes rodeiam, rodeiam...

Hoje o dia começou melancólico já, com meu melhor amigo meio que se "despedindo", dizendo que precisava dar um tempo de mim.
Não entendi nada daquilo, continuo sem entender.

1:30 da matina, observo pela janela meu vizinho gato se despedindo da namorada. Cada um entra no seu carro e seguem o mesmo caminho. A chuva volta a cair pelo terceiro dia consecutivo, e eu aqui. Pensando: Como estarei no centro amanhã as 9:00 ??
E chuva e mais chuva.

Chuva lá fora, chuva dentro de mim.

Noite passada sonhei com o ex. Com o ex e sua nova família. Com pessoas, familiares, brigas, lágrimas.
Foi um sonho pesado, acordei arrasada. De quebra ele me manda mensagem de sdds, de desabafo.
Desculpa, não sei como posso ajudar.
Só sei de mim.
De mim e de como isso dói por dentro quando paro pra pensar.

Pensar tem doído ultimamente.
Pensar na vida, na minha família, meus amigos, amores...

Hoje também esbarrei no carro do Gustavo. Lá. Parado. Aquela placa, o vidro com película. Aquela placa.

Eu sei lá como me sinto, todos os dias tenho respondido a essa pergunta tão friamente igualmente como ando levando minha vida amorosa.

Hoje deu saudades de amar. Saudades de ter com quem contar. Principalmente porque meu grande melhor amigo decidiu por despedir-se.
Que loucura. Despedir-se. Logo de mim. Lua em câncer.

Minhas paqueras não tem sido emocionantes como deveriam.
Talvez um Tinder dê uma movimentada na minha vida, não sei.
Ou quem sabe eu precise mesmo é de um amor.
Ou não também.
Não sei de mais nada.

Minha menstruação está há 1 dia atrasada. Deus não faria isso comigo novamente não é mesmo?
Ou será eu que não aprendo?
Não sei também.

Acho que pode ser toda essa comida que eu ano ingerindo: 2 miojos, 2 ovos com batatas, canecas d feijão, pães, leite muito leite...
O que será que estou fazendo comigo mesma?
Ou será a ganja...?

Aquela música do Maglore mexeu tanto comigo. Aquela foto dos meninos mexeu tanto comigo.. Os 3 tão pequenininhos, o bob tão recente.

"Sei que não deveria, mas sinto saudades."
_Eu também Anderson, eu também.
Mas o que posso fazer? Como eu poderia adivinhar que Deus faria isso com a gente? Como eu poderia adivinhar que eu mesma faria isso com a gente?
Vou te amar por toda a minha vida. Me perdoa. Siga em frente. Seja feliz.

Só espero tudo isso passar. Espero que Thales volte logo, que dia 20 chegue voando, que tudo pfv pfv mesmo, se resolva.
Vou ouvir uns mantras, rezar um pouco. Pedir uma ajuda divina.

2h da manhã. Não aprendo mesmo.

"Boa noite Gabriela, não fica assim não. Vai ficar tudo bem. Reza que tudo vai ficar bem."
PS: alguém me ajuda a parar de fumar.

Maglore - Despedida

Doce o correr do mar, errante nos sentidos.
Boca a se encontrar na sorte de um abrigo, teu que lá
Vale a pena navegar em Titubear
Quando esconde esse sorriso, vem em vão
Pois não voas para mim.

Porto de minhas horas sãs, são horas descontentes.
Voltas quando quer chegar num ponto diferente.
Então e eu, pouco sem razão até pensei no todo que perdeu a fé
Em vão, pois não voltas para mim.

O que se perdeu, perdeu a forma e o sentido
Quando vimos outro eu, tu e outros coloridos
Em pensar na pena de se reencontrar
Virá de novo pra nos machucar
Então guardo o teu cheiro em mim.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Viva la vida

Lendo agora meu último post, pensei imediatamente: Puxa, que loucura.
Loucura que em tão pouco tempo (menos de um mês) tanta coisa mudou dentro de mim.

É muita loucura ter um blog "secreto" aos 23 anos pra conversar consigo mesma? Sei lá, essa lua em peixes tá bem confusa.

Abrindo os trabalhos aqui, os dilemas agora são outros. Completamente diferentes, diga-se de passagem.
Primeiro que encontrei o amor da minha vida. Impaciente, grosso, rabugento. Mas é o amor da minha vida.
Um parceiro pra vida, uma coisa muito louca.
Ele quem me tirou da fossa do geminiano cafajeste. Sem ele, eu estaria exatamente como no último post. Me sentindo triste, feia, depressiva.
Com ele não tem tempo ruim, falta de grana, locomoção, companhias, parcerias, amigos, gatinhos...
com ele conheci uma versão do mundo que não conhecia. Meio sombrio, real demais. Carnal demais. Viciante, glamouroso.
Um mundo em que a Gabriela é bonita, simpática, atraente, carismática. As mulheres olham, os homens cobiçam.
Falta muito ainda pra ser como eu gostaria, meu joelho não tá bom ainda. Mas nunca me senti tão bonita e atraente como aos 23 anos, 2017.
A propósito, tô com uma mania bem feia de mentir minha idade, digo que tenho 22. Não sei bem a coerência de mentir um ano a menos, mas minto. Me sinto mais jovem aos 22.

Depois das semanas depressivas, depois de tantas festas, pessoas, pensamentos... me tornei uma Gabriela diferente. Mais impaciente, confesso.
Porém muito mais confiante. Sinto a perseverança fluindo em mim agora. Sinto a realidade do fato de nascermos e morremos sozinhos. De termos de ser sozinhos. De conseguir tudo por nós mesmos. Através dos nosso sacrifícios e disposições.
Com ele aprendi que mulher é outro nível. Que se quiser mesmo mesmo, alcança o topo, domina o mundo.
Só tenho a agradecer a Deus por tê-lo colocado em minha vida. Por ter me dado a oportunidade de comprar aquele ingresso pra Life, pro Paranormal Atack e skazii, que foi inesquecível.

Agora meu dilema eh grana. Money. Que amor que nada. Money. Money que é good nós não have.
Minha geladeira nunca esteve tão vazia, as dívidas do meu pai se multiplicam a cada dia que passa. Uso roupas emprestadas pra sair, só tenho um par de sandálias bonitas. Fumo sem ter dinheiro pra bancar meu próprio cigarro, e na night tenho no máximo 20 reais pra gastar. (15 reais e um maço de cigarros como falo normalmente pra zoar minha decadente situação).

Reveillon foi magnífico, até o fato de ter que ir "de gatinha" me salvou de uma bad daqueeelass!
Tenho detonado um pouco meu organismo: mtas festas, bebidas, cigarros, afinss, adereços....
Mas tenho aproveitado absurdamente minhas férias, minha juventude, minha solteirice.

Ando com alguns pretendentes, ando conhecendo pessoas de todos os tipos e lugares... ando curtindo, dançado, emagrecendo.
Ando bem, me sentindo bem comigo mesma.

Me afastei da minha família, é verdade.
É que ando sem paciência, sabe. Pra esses problemas tão bizarros que eles possuem. Problemas causados por eles mesmos. Problemas que só eles mesmos podem resolver, porém ficam dando voltas... se amarrando... fazendo-me sentir pena.
Odeio sentir pena. Sentir que só Deus mesmo pra ajudá-los. E eu não sou Deus. Eu sou a Gabriela. que ajuda como pode, mas que tem sua vida, seus sonhos, seus planos, suas vontades, ambições, ideias...
Não sou obrigada. Não sou mesmo.
Não sou empregada, nem babá, nem operacional de empresa, nem nada.
Sou estudante.
Apenas isso, estudante.

Estou de férias (inicialmente involuntariamente), e em março minha vida volta ao planejado. Ao almejado.
A vida é mais.
O mundo é enorme.
Nada tem replay.
Nada se leva.

Aproveite o momento, curta, agradeça, comemore.

Queria falar mais, muito mais. Me agradecer, me orientar, me impulsionar.
Mas tô morrendo de sono, e amanhã tenho muitos afazeres.


Vim só pra esclarecer que Gustavo já era. Sinto sdd as vezes, mas mt as vezes. E nada mt incontrolável.
Pra contar que tô feliz apesar do Ariano não valer absolutamente nada. Que meu taco é mesmo forte, e que não há nada que eu não possa ser/fazer.

A vida é linda, é bela. Viva la vida.

PS: Tô de boas pq meu pai fez sacolão e tô com várias batatas, maçãs, bananas e mamão. Caso contrário estaria arrasada. Rango aqui tá foda.






quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Segunda chance

Rs'
E olha eu aqui de novo. Tudo novo de novo.
Antes de começar esse post, dei uma lida no anterior.
Maio de 2016.
Hoje, dezembro de 2016.
7 meses depois do ultimo post, e adivinha só, a dor é a mesma. Não, não, corrigindo. É PIOR. MUITO pior.
Primeiro que com relação a faculdade, fui ladeira a baixo. Ladeira a baixo não, fundo do poço. Completo fundo do poço.
Um tombo idiota me rendeu um joelho fodido e 2 meses parada. Tive que trancar o curso, e a partir daí, estar preparada pros piores dias da minha vida.

No fundo eu até que entendo, sabe. É deus. Deus é tudo. Deus é ótimo.
Tô aprendendo que tudo sempre pode piorar; que valorizar as próprias conquistas é essencial; que a ingratidão é o pior sentimento da face da terra; que "Falsa Consideração - Jorge Aragão" foi minha música em 2016; que "Tove Lo - Habits" foi tudo o que eu senti em 2016.

O que mais posso dizer? Preciso de ajuda. Como nunca precisei antes.

O meu amor de carnaval acabou. Como se não bastasse a ausência e o descaso, ele me substituiu. Uhum. Rápido assim. Fácil assim.
10 meses e acabou. Agora me ensina. Alguém por favor me ensina a viver como se aquela pessoa não tivesse passado pela minha vida.
Alguém me ajuda a encontrar alguém que tenha um sorriso pelo menos parecidinho com dele. Uma pele parecida. Um bj, pegada, olhar...
PFF
que ridícula nao?
O cara me dispensa como uma lata velha, me troca do dia pra noite. E eu tô como? 2 semanas arrasada.
nao, nao. PIOR. Ele sai comigo enquanto tá namorando (pelas minhas costas), e eu tô como?
rs
Alguém me ajuda. Sério.

Patética é o que tem me definido nos últimos tempos.

A distância tem levado meus amigos, um a um. O tempo me levou todos os meus amores. O acaso levou minha liberdade.
Eu só não pergunto o que mais falta acontecer, pq se alguém escuta, pronto. Já já eu descubro uma lista de coisas que podem acontecer pra piorar mais a minha situação.

Anderson vai ter um bebê. Uhum, com uma garota que ele namorou 3 meses e engravidou.
Outro que me fez sentir na alma como há tempos não sentia.
Pelo menos nosso reencontro foi 'a la gran stilo Anderson'. Com todo aquele entusiasmo aquariano, com todo aquele charme perverso que eu conheço e muito bem. Mas tá lá. Pra casar, pra não casar. O bebê é menina. Eu finjo que sim, mas não consigo lidar nenhum pouco com tudo isso.
Eu brinco, faço piadinhas, digo que vai ficar tudo bem. Mas aqui dentro... Aqui dentro não cicatriza.
Lua em câncer é pra acabar.

Em contrapartida com meu fracasso acadêmico e amoroso, meu setor familiar anda mais desestruturado que a política no Brasil.
Primeiramente FORA TEMER
Segundamente...
(piada interna)
... minha irmã pariu Arthurzinho e casou com um marido nada ideal. Tadinha. Fico triste por ela, parece que é comigo. Espero que deus abençoe ela e esse novo serzinho que não tá nada ligado na Era em que veio pra Terra. Me sinto meio culpada, mesmo sabendo que não sou. Que deus abençoe ela.

Meu pai e sua empresa falida rendem muitas (MUITAS) dores de cabeça e doses e mais doses de "não posso acabar minha vida assim".
Minha mãe se descobriu pra sempre acompanhada depois do nascimento do Arthurzinho. Fico feliz por ela. Sei que no fundo é a segunda chance que deus deu pra ela.

2h da manhã, tenho só mais um cigarro.
Meu pai voltou a fumar, nao sei o que pensar disso. Me preocupo, me culpo.
Dessa vez tem maconha (mas não seda kkk ~ papel de pão te odeeio!).

É tanta coisa acontecendo que mal consigo me localizar.
Pelo menos não vou precisar fazer a cirurgia (e nem implorar 10 mil reais pra minha avó).

E o que eu posso dizer de tudo isso?
Deus é lindo.
E eu acho que tô começando a entender a pegada dele. vou contar que a didática dele comigo, entendi rapidinho.

VALORIZE O QUE VOCE TEM.
Tudo. Qualquer coisa. Valorize.

Valorize sua rotina cansativa (facul/trampo/academia).
Valorize seus amigos.
Valorize seus amores (mesmo que efêmeros).
Valorize sua família, a comida no seu prato (tempos difíceis esses últimos), valorize a paz no seu lar, em seu ser.
Só valorize. Valorize e agradeça. Sinta-se abençoado por ser saudável, sinta-se grato as provisões da vida.

Eu não entendia nada disso. Nadica de nada disso. Mas hoje, aos 23 anos, 07 de dezembro de 2016, as 2:05 da manhã...
Eu entendo. Entendo e muito bem.


E o que eu espero?
Que deus me dê uma segunda chance. É só o que eu preciso: uma segunda chance.
de ser grata a minha vida como nunca jamais fui antes.


Ao meu amor de carnaval, primeiro negão da minha vida, quero deixar aqui registrado, que te amei como há anos não amava ninguém. Que chorei como há tempos não chorava. A dor foi tanta tanta. me desfigurou a cara. A alma.
Amei tanto que passei por cima de todo aquele machismo e 'blablablas' sem sentido. Passei por cima do fracasso financeiro dele(aos 30), por cima do fato dele não ler livros. Por cima de toda a minha auto-estima e amor próprio. Mas amei. Amei como há tempos não amava.
Que deus me ajude. Pfv, deus me ajude.

Quero também deixar registrado o amor que surgiu em mim junto com o nascimento do Arthurzinho. Acho que ele é uma segunda chance pra todo mundo. Pra mim, amenizando um pouco meu passado trágico com bebês. Pra minha mãe, minha família, meu amigo/cunhado.
Deus sabe mesmo o que faz. Pituxa, sinto sua falta.

Tá tocando umas músicas muito tristes no player do youtube, não tô podendo com tanta bad.

Só precisava vir aqui, sabe. Vir aqui despejar tudo o que tá aqui pesando pra cacete.
Minha vida tá uma loucura, avesso do que eu sempre sonhei/planejei. Não tô sabendo como agir.
Deus me ajude.


Vou nessa então. Amanhã cedo tem FavoritaCred, e toda a bagunça que a minha vida se tornou. De novo. E de novo.
Vou lá furtar um cigarrinho do meu pai (SHIT!), ligar minha luminária, rezar um pouco.

Tá bem difícil. Difícil mesmo.
"Boa Sorte Gabriela, vai ficar tudo bem. Deus tá aí, tá cntg o tempo todo. Só agradeça a Deus, agradeça."
Tudo vai ficar bem.
Segunda chance, me aguarde. Aí vou eu.

domingo, 29 de maio de 2016

Preciso de Ajuda

Sábado de um feriadão que tinha tudo pra ser magnífico. Mas não foi.
4:16 da manhã e tudo o que eu queria era estar na companhia de alguém que quisesse estar cmg.

E aqui estou, fumando cigarros adoidada; acabou minha maconha; Speechlees da Lady Gaga, e aquele aperto no coração ecoando: Perdedora.
Pq está tudo assim, tão incoerente?
Desde o fim do meu relacionamento, tenho vivido em constante montanha russa afetiva. "Envelheci 2 anos ou mais nesse último mês.."

Realizei meu sonho de passar na faculdade, e simplesmente não tenho conseguido estudar. Ando tão cansada, derrotada.
Pq isso anda me abatendo? Me pergunto como se não soubesse a resposta, como se não soubesse o que fazer para sair desse poço infindável de tragédias e dores.

Chóro um chôro com gosto de solidão... Foram tantas perdas. Tantos amores não correspondidos, tantas expectativas decepcionadas...
"Pq não me amam?" Eu me pergunto. Onde eu erro?? Qual é a maldita parte em que me perco?
Não pode ter a ver com o sexo, pfv, que não tenha a ver. Muito medieval para fazer sentindo em pleno século XXI.

Eu deveria estar me preocupando com álgebra e cálculo e não em pq não consigo um amor recíproco. Deveria me preocupar em me formar no ensino superior, minha independência, meu futuro. Mas só consigo mentalizar válvulas de escapes afetivas, meu coração vazio de amor..
Minha lua e vênus são em câncer, e deus, só eu sei desse vazio insuportável do coração por simplesmente n amar. Não amar.

Eu até amei. Tentei.
Tentei errado, confesso. Mas tentei. Desse meu jeito louco, orgulhoso e estranho, mas tentei.
Eu emanava energias erradas, hj sei. Mas eu amei. ô se o amei.
Daquele amor de ficar observando a pessoa dormindo, de ficar velando a respiração, de torcer pra estar naqueles aparentes sonhos...

Aquela pele... sei que nunca mais esquecerei. Aquela vibração energética e quente, que só de estar perto minha perna bambeava, meu coração descompassava.
Mas ele não se importava. Nem se preocupava com a manutenção do meu amor, do meu coração.

"...O que talvez ele não tivesse percebido é que nenhum de nós estava em vantagem naquela noite. Sobretudo, que alguma coisa a gente sempre cobra: sexo em troca de carinho, em troca de companhia, em troca de qualquer coisa. Não existe almoço de graça.
Acontece que, em algum lugar no manual dos “solteiros que querem uma foda ainda hoje”, alguém escreveu que o bom dessas coisas de trepar só pra trepar, é que você não se apega efetivamente a ninguém. Mas, quando se está no meio da porra de uma chuva, sem táxi, e ainda um pouco longe do bar mais próximo, você começa a pensar que a verdade é um pouco diferente do que dizem por ai: estar com uma pessoa é, eventualmente, ter de se despedir dela; estar com várias é ter de se despedir constantemente. E são tantas as despedidas que há um momento em que já não é mais possível saber quem está chegando e quem está partindo. Essas são as coisas que acabam nos levando para a cama errada.
É inevitável. É quando a gente se percebe sozinho e se vê obrigado a pensar na babaquice tremenda que é essa busca desesperada por liberdade, que acaba sempre nos prendendo a algum lugar, ou alguma cama. Na neurose ridícula de tentar botar ordem no que é desordenado. Na necessidade de “não sentir”, para não ter que se despedir depois. Mas, final da noite, a gente sempre sente. No final da noite, a gente sempre está sozinho. É inevitável..."

Queria poder ter previsto tudo isso. Todos eles, todos os acontecimentos que os sucederiam.
Era só amor o que eu queria. Só reciprocidade sabe?
Gustavo, Rodrigo, Augusto, Anderson... Só pra começo de conversa.
Não é pedir de mais: afeto.
Mas afeto de vdd sabe? Afeto que faz tempo que não sinto, daqueles dos meus 18 anos, onde meu coração vivia encharcado de amor, de paz, tranquilidade...
Amor não era uma preocupação, amor não causava isso tudo que têm causado. Teoricamente nunca deveria causar, mas quando se é solteira aos 22 e os apps de relacionamentos estão em alta, tudo o que o amor trás é dor de cabeça, insônias e lágrimas.

Quase 5h e eu acendo um cigarro. Terceira noite no quarto novo, barulho de chuva, frio, sem maconha.
Preciso de ajuda, preciso dar um jeito na minha vida.
Ando com tanto medo. Medo de ser isso mesmo. Medo de me arrepender, medo de já estar arrependida.
"Se eu soubesse antes oq sei agora, iria embora antes do final."

Não lembro mais como é ir dormir após um "boa noite, te amo." Não lembro mais como é acordar com um "bom dia, sdds."
Todos se foram. Lentamente, um por um. E o que me resta são uns partidos meia-bocas; uns que não transam deve fazer meses (e se depender de mim continuarão assim), outros cafajestes demais para alguém pôr fé e fazer cara de paisagem enquanto contam do seu dia, outros tão misteriosos a ponto de passar a impressão que será a última vez que nos falamos. Outros que estão só por estar, logo partirão.

e eu aqui.
5h da manhã, pensando num cara que não dá a mínima pra mim. Sofrendo de rejeição, enchendo o chão do meu quarto com cinzas de cigarros, ouvindo Sia - Soon We'll Be found.
A chuva aumentou, meu cigarro acabou.

Até quando essa dor Deus?? Até quando sofrer por quem não gosta de mim? Pq faço isso cmg mesma?
Pq cometo essas falhas absurdas que me boicotam sempre??
Preciso de ajuda. Preciso mt.

Vou rezar, pedir praquele que de fato pode fazer algo por mim. Pôr um mantra, pedir ajuda novamente.
Tô arrasada e não sei como lidar com isso. Minha motivação foi embora junto com minha autoestima e amor próprio.
Preciso de ajuda.
Boa noite.
Se cuida Gabriela.
Te amo Gabriela.




sábado, 26 de março de 2016

Inconstância

Já faz um tempo que eu queria reaparecer.
Confesso n entender esse desinteresse que me abateu. Simplesmente esqueci. Esqueci ou n senti vontade. Não sei bem.
Talvez eu ande tão bem resolvida que expressar-me anonimamente n faz mais sentido.

Dei uma breve lida nos posts anteriores e nossa, como o tempo voa.
Como o tempo voa, como as coisas mudam... como a vida é louca.

Em todo caso, tô de volta. Até qnd n sei com exatidão, espero do fundo da alma, que pra sempre.
Sexta-feira, 03:30 da matina, e eu com ataques de melancolia e nostalgia.
Vai ver é por isso que tô aqui. Por isso que to remexendo textos e tragédias. Paixões e desilusões.
vai saber.

Minha vida anda bastante conturbada. Tanta coisa aconteceu desde o último texto. É muita novidade pra pôr em dia.
Nem sei se consigo.
Aos poucos eu tento atualizar. Ou n tbm.
Já deu de sacar a inconstância que me tornei né? Tá foda ser eu.

Socorro.