Pages

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

minha irmã, minha melhor amiga.

Importante.
Quem faz parte de mim.
É bom ter com quem partilhar as coisas, principalmente alguém assim como você.
Alguém que eu não sou, que seria, que gostaria de ser, que nunca serei, que um dia serei.
Minha irmã.
Às vezes somos, quase como um espelho, nos refletimos uma na outra e outras vezes não podemos ser mais opostas.

Juntas íamos a escola, juntas contávamos as horas para abrir os presentes que o papai noel deixava, juntas colhíamos o matinho pro coelhinho da Páscoa comer. Juntas andávamos o dia todo de bicicleta, juntas inventávamos coreografias e as executávamos sem pudor, juntas apanhávamos e riamos. Juntas passávamos horas no telefone .. Juntas brigávamos por um pedaço de papel (não só papel; papel, caneta, adesivos, cadernos, amigos e outros inúmeros objetos). Juntas fazíamos as piores (e melhores) traquinagens e principalmente, juntas aprendemos a ser quem somos, juntas imaginávamos o amanhã..
Juntas, juntas. Sempre juntas.
A vida era mais fácil porque a aprendíamos juntas. A executávamos juntas. Sempre juntas.

É tão louco.
Você ler a resenha de sua vida e perceber que sempre esteve alguém ali. Ao seu lado (ou não), mas isso não importa, porque SEMPRE esteve alguém ali.
Como observador, testemunha, narrador .. as vezes como mero figurante.. mas sempre ali.
Olhando, analisando, rindo, debochando, contrariando, ajudando, facilitando, especulando. Sempre ali, com você.

A pessoa que participou das suas maiores loucuras, a que você entregará os podres pro filhos.. filhos esses que serão sobrinhos, e que com certeza você tbm será madrinha, e amará com a msma intensidade.. como se fosse um pedacinho seu. Olhará como você olhava pra sua irmã caçula ... Protegerá, ajudará... amará.

Saiba que estou sentindo tanto a sua falta. Sinto tanto ;~
Houve a época em que a sua presença me era indiferente. Época em que tomamos rumos diferentes, com pais diferentes, amigos diferentes e personalidades diferentes.
Triste, porque a fase que perdi, foi de certa forma, a fase decisiva; a que formaria você. Quem você seria.
E eu perdi.

Quando retomei, me assustei. Apenas pensei: "Meudeus, olha você".
Me senti perdida. Confusa. Chocada.
Atrapalhada como quem pega o filme pela metade.
É um ano de diferença de idade, mas me sinto como sua mãe. A mãe que não tivemos. Aquela mãe que nós idealizamos para nossos futuros filhos.

Eu voltei. E tudo não poderia ser melhor.
No início clro, como sempre, foi difícil a convivência.
Não eramos mais as menininhas que brincavam de barbie.
Assim como eu tbm não era mais aquela garotinha que dizia primeiro que não queria mais brincar, só para que você tivesse que guardar toda a bagunça sozinha. Que pedia pra você engolir o choro, só pra que a nossa mãe me deixasse brincar um pouquinho mais na rua.

Histórias nossas.

Teríamos que começar do zero. Eu teria que lhe mostrar a pessoa amarga e intolerante que eu me tornei. E eu, teria que me acostumar com a pessoa sem escrúpulos e arrogante que você tinha se tornado.
Tão distantes. Chegamos ao ponto de parecer apenas duas pessoas dormindo no mesmo quarto.

E olhe pra nós?
Aquela fase decisiva, lembra? Aquela em que passamos sozinhas? Passou.
Estou aqui. Você está aqui! Comigo. Juntas novamente.
Juntas nos completamos, nos melhoramos.
Você é tudo o que eu desejei que seria.

E agora? O que vou fazer sem você?
Como durmo sem você? Como durmo sem seus beijos de boa noite? Ou o seu mau humor matinal?
Você me acostumou mau sabia? As noites passam lentamente agora, com você aí.. e quando sinto sede, tenho que me levantar. Quem irritarei?

A minha irmã caçula que é a minha cara.
As críticas de novelas e atores só tem fundamento (se é que tem um, rs) com você.
Agora tenho que lavar a louça sozinha, cantar as músicas sozinha.. As novidades agora, parecem de segunda mão. Não tem a msma graça contar sem ser olhando suas expressões de surpresa ou decepção.
O hábito de thub's na madrugada, de conversar até as 5 da manhã. De reclamar da vida e de como estamos gordas... É tudo diferente, agora.

Quando a vida parece mais difícil... saber que conto com o seu apoio incondicional torna tudo mais leve, mais tragavel e suportável. Só você escuta sem julgar, sem criticar. Apenas aconselha.. e quase morro de rir. Rir mto, rir sempre. Rir em qualquer lugar, na rua, no banheiro, na cozinha, na igreja -kkk

Por você viro a fera que eu  sei que não sou, compro brigas que nunca compraria .. uso roupas que nunca usaria. Pinto a unha de rosa, e uso cabelo pro lado.. só pra te agradar, rs.

Eu te adoro e te admiro e te amo por tudo que você é, por tudo que você representa, pelo simples fato de você existir. Tudo o que eu sou começa com você e tudo é melhor quando estamos juntas...
Juntas, juntas.. sempre juntas .. ETERNAMENTE juntas.



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Iminente

A despedida, a certeza de um fim iminente e a rara e falsa esperança de que tudo seja mentira vão se tornando cada vez mais distantes.
As coisas acontecem porque acontecem, consequências de decisões tomadas.
Só gostaria de agradecer por ter feito de mim, uma pessoa feliz.

A doação a um ser não é tão ruim, ficam coisas boas, e só ajuda a demonstrar o quanto você é boa. Mostra como você é sim capaz de conquistar alguém, mesmo que momentaneamente.

Infelizmente, não posso ter o controle dos sentimentos alheios, ninguém pode. Cada ser humano é um ser individual e mesmo que necessite de companheiros, toma suas decisões sozinho...

Se a decisão já foi tomada... Fazer o quê? Dizer o que?
Nenhum dos lados ficaria feliz sendo por obrigação ou pena o motivo de uma união...

O dia hoje está frio e eu estou bem, muito bem.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

o tão deplorável fim.

Coisas novas nos assustam no início. Com o tempo aprendemos a nos acostumar, e quando acostumamos é como um vento, passa e leva tudo..  e assim, repentinamente acaba. Assim, simples como a palavra 'fim'.
Eu particularmente nunca gostei dos 'fins'. É, fim de filmes, fim de livros, fim daquele doce preferido..
Porque tem que ter um fim? Até nós, seres humanos, temos um fim. As vezes trágicos como uma peça de teatro, as vezes suave como uma brisa.. mas é inevitável o fim.
Seria pedir o impossível que relacionamentos não tenham fim. Mas não ficarei batendo nessa tecla. Infantil e idiota demais. Só serve pra que eu me irrite e me indigne ainda mais.

Hoje o dia parece estar inteiramente contra mim, nada ao meu favor. É, às vezes eu acordo assim e nesses
dias, por incrível que pareça, eu me sinto bem. Conformada e bem, muito bem.

Hoje acordei pensativa. Ruminando pensamentos.
Cheguei a conclusão de que as opções é que fodem com tudo.
Não há como escapar, dado que somos seres de infinitas possibilidades, nossa vida nada mais é do
que o resultado de nossas consecutivas escolhas. São as opções que nos matam.

Das mais simples às mais complexas, toda escolha tem o poder de mudar a nossa vida.
Talvez o mais triste seja saber que ao termo de uma escolha, todas as outras possibilidades relacionadas a ela, cessem naquele instante. Talvez essas possibilidades ressuscitem em algum momento futuro, mas o momento da escolha é o momento da morte de todas as possibilidades não escolhidas. Por isso vivemos um eterno luto pela morte da vida que não tivemos.
Trágico, não?

Um dia você percebe que o dinheiro corrompe as pessoas de maneira absurda e você não consegue escapar
dessa maldita e inevitável lógica.

Um dia você olha para a sua pasta de musicas no computador e só tem coisa antiga.  Você não tempo para
descobrir coisas novas.

Um dia você reabre aquele livro que começou a ler tem mais de um mês. Você ainda está na pagina
cinquenta e seus olhos já estão pesados demais pra seguir a diante.

Um dia você acorda e se sente como um suicida, no alto da ponte.. onde as opções são decisivas..
Ir em frente e usar do tão deplorável 'fim', ou tentar novamente onde há ainda mais escolhas a serem feitas?

FIM.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Tanto faz ...

" Mas nada vai conseguir mudar o que ficou ... quando penso em alguém só penso em você; E aí, então, estamos bem ..."

Nem desistir, nem tentar..

Bem, os dias estão melhores.
Após um longo final de semana bêbada e drogada .. as coisas estão mais fáceis.
Nada como um balde de água fria pra acordar.
Nunca me imaginei assim.
Deplorável.
Decadente.
Ao menos sei que não morrerei disso. Não dessa vez.
O que não me mata, me fortalece... e as coisas aos poucos voltaram ao seu estado natural.
Nunca espere demais, nunca espere que alguém faça por você o que você faria por esse alguém.
Somos diferentes.
Somo decadentes.
Mas como me dizia um velho amigo: "dias melhores virão".


"Jamais perca seu equilíbrio, por mais forte que seja o vento da tempestade"


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Game Over

E só de pensar que te ganhei pra no final perder .. É o que mais machuca. 
 Perguntas não amenizam dores nem apagam pessoas da memória. Assim como querer você por perto, não significa que o terei novamente.
As vezes queria de alguma forma, regredir no tempo e desfazer os laços que com tanto afeto eu fiz por impulso, esquecer de cada detalhe sufocante e principalmente intrigante de cada situação ocorrida . Esquecer de todas as conversas e momentos, de todas as risadas e de toda a saudade cortante. Dos seus olhos inconstante e dos inúmeros tons de azul e verde que os mesmos podem ter, de como você me faz rir, de como tudo com você fica encantadoramente alegre. 

Porém, as vezes desejo nunca esquecer, porque a lembrança é a única prova de que aquele sentimento foi real. De que eu não sou a louca que eu sempre pensei ser,de que você existiu.

O dia hoje foi difícil, mas como nos contos de fada que minha mãe lia pra mim, quando criança, esperava que o final fosse feliz .. e que você me desse (ou mandasse) um doce beijo de boa noite, dizendo: " tudo ficará bem, não morra e amanhã nos vemos novamente" . Mas não foi. Foi só mais um historinha com um fim precipitado ou atrasado, onde ambos ultrapassaram os limites e ignoraram completamente o fato de que o plano sempre foi de que tudo acabaria bem. Burlamos as regras, excedemos o estipulado e está aí a punição por isso.

Não há culpados nem errados, é nisso que tento me concentrar.

Porque não prever? Sabíamos de tudo isso, e do fim trágico que teria. . Porque arrastamos tudo isso por tanto tempo?! DROGA.
Talvez por justamente temer e principalmente, querer prolongar toda a felicidade. A felicidade que fazia com que nossas pupilas dilatacem e respiração acelerace,, fazia com que nossas mãos suassem e as bochechas couracem.. Para, para, para Gabriela..

Nada disso foi suficiente, Pare de insistir, pare de se culpar, para de culpa-lo. Siga sua vida, merda! Não olhe pra tras. Siga a bosta de sua vida, e pare de choramingar como uma velha!
Pra variar, pare de reclamar! Olhe sua vida, olhe ao seu redor ... olhe o céu azul...
Nada dura pra sempre, sempre foi assim e sempre será.


Me pergunto apenas. Durará isso eternamente?
Não, tudo passa ... tudo passará.

A gente se desencanta, mas a vida é muito graciosa para ser apenas desilusão, e os sonhos são muitos reais
para serem simplesmente despertados. Ainda encontrarei forças para sonhar novamente. Sim, eu sei que encontrarei . . . assim como ele encontrou forças para dizer adeus.

E assim o sono chega, de mansinho, me convencendo de que amanhã será um outro dia .. Talvez melhor, talvez pior.. Mas um novo dia, um dia novo.

Torturo-me até o ultimo minuto antes do sono definitivamente me pegar pela mão e me levar para um outro mundo., adormeço pensando, pensando em coisas que seria melhor esquecer.

Game Over.



sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Lonely day..

Me sinto só!

Não que isto seja de um todo ruim.
As vezes é até bom desfrutar da minha própria companhia .. Curtir um pouco essa minha solidão, me divertir comigo mesma. Ler meus livros, assistir alguns filmes, ouvir minhas músicas antigas, tentar me entender, sei lá. Analisar ... apenas analisar.
Mas em outros poucos momentos o peito aperta, bate uma saudade.
Ai eu paro pra pensar em como minha vida seria se eu tivesse feito outras escolhas, se eu tivesse usado de outras palavras, tomado outras atitudes.. e esses pensamentos só atrapalham ainda mais.

É estranho estar cercada de pessoas e se sentir completamente só. Desamparada, não sei.
Assim como é estranho olhar pra trás e sentir falta de tudo que está lá, lá atrás ..
ou tudo que estava naquela caixa de sapatos velha, escondido em meio a tralhas inúteis ..
e que em um momento de raiva, foi simplesmente fora. Fora como algo comum.
eu sabia que mais tarde iria me arrepender, sabia. Mas foi melhor.

E os meus amigos onde estão? e os que se diziam amigos? Eu não os sinto mais .. ou será que nunca senti?
Será que existiram, ou foram apenas momentos de simples 'camaradagem'?

É como se algo me envolvesse, uma nuvem além da qual eu não consigo sentir mais nada.
Então simplesmente finjo estar bem, rir das piadas e das futilidades,
conversar coisas sem sentido... Tudo me parece tão artificial.

Acho que tenho esperado de mais das pessoas. E isso é tão triste. Esperar dos outros. Esperar pelos outros.
Esperar para que alguém te diga se pode ou não. Se deve ou não.. é simplesmente deplorável.
E essa melancólica nostalgia .. outro sentimento que não ajuda mto.

Mas o que é melhor, ter pouco ou não ter nada? Pior do que querer uma coisa e
não conseguir é ter uma coisa que você queria muito e perder. Perder por um erro seu.
Mas que erro foi esse afinal? Gostar de mais? Esperar algo em troca?
Querer simplesmente a presença .. E isso n]ao é bom?! Não era pra ser bom?
rs, não foi. Que pena que  não foi.

Dizem que quem deseja algo impossível ou indisponível são os que sofrem..
Discordo, as pessoas que mais sofrem são aquelas que não sabem o que querem.
Que sofrem por algo ou alguém que simplesmente não existe. Confuso .-.

O que fazer quando você não consegue tirar uma pessoa da cabeça? E daí que ele não ta nem aí?
E daí que esse alguém simplesmente não se importa? É só saudade, só isso.
E daí que o sentimento que você sente não é recíproco, que os interesses são diferentes?
Simplesmente não da pra pensar em outra coisa. De repente, tudo que você ouve direciona a sua
cabeça pra uma pessoa, tudo que você vê faz lembrar daquela maldita pessoa.
Maldita sim! Porque no final das contas .. você já acaba por odiar infinitamente aquela pessoa.

Eu realmente não sei o que fazer pra amenizar essa solidão. Eu sei o que poderia amenizá-la,
mas é algo que eu não posso ter. Nem sempre o que é “certo”, é o melhor pra nós.
eu poderia simplesmente me direcionar para outro caminho, pra outra pessoa.. Pras pessoas que eu realmente sinto ao meu lado. Mas não dá. Não dá. Esse inconsciente masoquismo fode com tudo.

E eu continuo aqui imersa em meus sentimentos, no meu momento egocêntrico, onde eu não
enxergo ninguém alem de mim mesma. Continuo aqui sozinha, com o consolo de saber que ele
está feliz do jeito que as coisas estão. Que é indiferente a minha presença, e que eu tento, frustradamente, fazer o msmo.

Acredito que as coisas têm uma razão pra acontecer.
Destino? Não sei se é essa palavra.
Dizer que tudo já está escrito, e que nada pode ser mudado, as coisas acontecem porque acontecem e ponto final. Não, não é nisso que acredito. Acredito que as conseqüências por atitudes “erradas” são o nosso aprendizado, são a forma de nos mostrar que não estamos prontos pra determinada coisa.
Que sempre há dois caminhos, sempre há opções. E são essas opções que muitas vezes nos 'salvam' ou nos afundam.. afundam como âncoras.
E se realmente for pra acontecer, mais cedo ou mais tarde, vai acontecer.
O que é verdadeiro não acaba tão fácil. Às vezes é preciso de um pouco mais de maturidade e experiência pra desfrutar de coisas da vida, então estas mesmas são adiadas.
Mas mesmo assim, acho que eu mudaria algumas coisas.
Por pura teimosia, por ser simplesmente mimada, infantil e imatura .. por não ter paciência pra esperar pelas coisas.
Não sei ao certo.

Fazer as coisas precipitadamente sempre foi o meu maior problema.
Ou seja, mudando o meu passado, eu só cometeria os mesmos erros que cometi, e que me fizeram chegar até aqui.

Reflexões, apenas reflexões após um visitante recente no orkut, rs.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Quase...

Ainda pior que a convicção do não,
É a incerteza do talvez,
É a desilusão de um quase!
É o quase que me incomoda,
Que me entristece,
Que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga,
Quem quase passou ainda estuda,
Quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos,
Nas chances que se perdem por medo,
Nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna.
A resposta eu sei de cor.
Está estampada na distância e na frieza dos sorrisos,
Na frouxidão dos abraços,
Na indiferença dos "bom dia", quase que sussurrados.
Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz.
A paixão queima,
O amor enlouquece,
O desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor.
Mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo,
O mar não teria ondas,
Os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina,
Não inspira,
Não aflige nem acalma,              
Apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Para os erros há perdão,
Para os fracassos, chance,
Para os amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque,
que a rotina acomode,
que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando...
Fazendo que planejando...
Vivendo que esperando...
Porque, embora quem quase morre esteja vivo,
Quem quase vive já morreu.

Luis Fernando Veríssimo

É quando o tempo para ...

É quando o tempo para...
Dizem por aí que o amor é como nos filmes .. e confesso que por muito tempo acreditei
nessas historinhas, mas desacreditava toda vez que tudo dava errado e os créditos
começavam a subir antes do previsto.
Desilusões, chatices, desentendimentos .. posso dizer que estou mais realista
e que cansei de exigir que o roteiro dos meus romances tivesse sempre as melhores cenas,
as melhores músicas e os melhores atores. Bom mesmo é quando imprevistos acontecem..
sustos, adrenalinas, excitações, expectativas e até msmo uma 'insatisfaçãozinha' de vez
em quando, rs ;x
As histórias têm acontecido por si só, como se fugissem do meu controle e tem sido
tudo tão fascinante... apaixonante.
coincidências. detalhes. frases soltas. Características, algo em comum, Mimos, olhares, violão,
vinho e algo que faça a mente e as palavras fluírem.. Músicas que tocam na hora certa
sem que eu precise apertar o play. Descobri que o bom de estar apaixonada, mesmo sendo
passageiro(ou não), mesmo sendo platônico(ou não), é o tempo que essa paixão dura. o tempo
que os olhos brilham e dilatam minha pupila. o tempo que o sorriso está estampado na minha
cara. o tempo dos suspiros. o tempo que ficamos juntos. O tempo em que contamos
para finalmente nos encontrarmos .. o tempo de fumar um cigarro, de comer um churros.. rs
É quando o tempo para...
(sem fim)