Pages

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sem mais chorumélas


Bom, eu estou melhor. 
Mesmo com lugares e cheiros me assombrando diariamente, eu me sinto bem. Se não bem, ao menos melhor.
Adoro esse jeito objetivo e nada sutil com que ele me trata. Adoro também continuar participando (não tão ativamente) da vida dele.
Lembro-me constantemente do sorriso que ele me dava quando dizia: Boa Noite Gabi.
Gabi com ênfase no i, e não no a, como a maioria das pessoas costuma fazer.
Gabi com ênfase no i, como só ele sabe dizer. E como eu gosto de ouvir.
Ele não me força a mentir, o que facilita ainda mais pro meu lado. Não preciso dizer que estou bem quando não estou, não preciso dizer que não me importo quando me importo. Não preciso.
Bom, e o que eu posso dizer? Eu não morri como achei que morreria, não desidratei como achei que desidrataria, não emagreci como achei que emagreceria. Eu só tenho me sentido um pouco só, o que não é por completo, ruim. E quando eu sinto que não vou mais conseguir, eu sumo. É!
Não é fácil saber que apenas algumas ruas nos separam; não é fácil saber aonde ela almoça; não é fácil saber o horário em que ele passa por aqueles malditos bancos.  Nossos bancos,. Nossos queridos malditos e aconchegantes bancos.
E com tudo, eu sumo.
Sabe uma coisa que me ajuda? Não pensar.
É!
Não pensar. Não pensar porque estou indo pra casa por um caminho diferente, não pensar porque estou ouvindo determinadas músicas, não pensar em que dia da semana estou.
Gosto de acreditar que o tempo vai levar tudo isso, que eu vou continuar almoçando, que eu vou continuar indo trabalhar, que o sol vai continuar se pondo  todos os dias, e que ele vai ser o que escolheu ser: meu amigo. Meu amigo, que é disse que eu preciso e ponto final. Que é isso que ele pode me oferecer e ponto final. Sem mais vírgulas, apenas ponto final.
Parei de pensar, parei de exaltar meu sofrimento como se eu tivesse que parar o rumo das coisas ao meu redor para simplesmente sofrer. Vou parar de mimimi, vou pensar no que realmente me importa e pronto.
O tempo está no pensamento, e pra me apaixonar por outro, é um pulo. (Assim espero)
Não quero abrir meus olhos e me ver vagando atrás de uma paixão abortada, não quero!
Eu sei que posso contar com ele, e isso terá que ser de bom tamanho.
Sem mais chorumélas, Gabriela.

0 comentários:

Postar um comentário