Pages

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Velha e sozinha

19/01/ 2012 -- 23:58


Os dias têm passado, eu tenho me distraído, tenho me saturado.
Quanto tempo faz que eu não te vejo? E a sua voz? Quanto tempo faz que não a ouço?
Não sei.
É tão assustador pra você como é pra mim, essa afirmação?
Sinto a sua falta, não tenho vergonha em admitir. Sinto sua falta. Principalmente das ligações noturnas.
Você precisa ver como eu mudei, precisa mesmo. Você sentiria orgulho de mim, orgulho da pessoa que, aos poucos, eu tenho me tornado.

Me sinto como se não soubesse o que fazer com as novidades, me sinto meio apagada, meio morta.
Você conseguiu acabar com as minhas ocupações, parabéns.
Conseguiu fazer com que escrever seja igual um tiro no escuro, ler, uma desinformação, música, uma dor.
E sabe o mais triste? Mal tem doído. Tenho me acostumado com a saudade, e até ando me recriminando toda vez que pronuncio seu nome.

Tenho, todos os dias, te apagado de mim. Um pedacinho de cada vez, um pouquinho.. todos os dias.
E só eu sei o quanto isso dói.

Você me ajudou e me destruiu, e todos os dias, todos esses malditos dias, eu tenho te agradecido mentalmente; OBRIGADA. Obrigada por ter me tornado uma pessoa melhor; consciente, responsável, 'adulta'. Independente, otimista..
Obrigada por ter me mostrado o quão patético e ridículo é essa baboseira de amor. Obrigada.

Ás vezes penso em te procurar, ligar, aparecer..
Chego a imaginar os detalhes desse reencontro, as frases que sentiríamos vontade de dizer, mas que, com certeza não sairiam..
E é nessa hora que chego a conclusão de que foi tudo milimetricamente destruído. O ponto final já foi colocado, e o livro já foi encerrado.

Me sinto velha. Velha e sozinha.
As pessoas que antes me alegravam, não me alegram mais.. o que eu considerava diversão nada mais é que desperdício.
Hoje dou muito mais valor a minha própria companhia. Muito mais minha praia, minha solidão, meu green..
Muito mais.

Eu sei que é só até o ano letivo começar, até eu esquecer de vez seu cheiro.. mas, por enquanto, minha vida tem sido igual a sua. Ou pelo menos, como era a sua.

Não tenho seus números, e só eu sei como isso me ajudou.

Meus textos têm ficado uma merda, e isso me irrita.
Tudo que eu escrevo se perde no primeiro parágrafo.. e tudo o que eu tenho feito é dormir.

Preciso voltar a ler, a beber, a assistir meus seriados..
Trabalhar tem me consumido mais do que eu imaginava, e isso me deprime, de certa forma.

Minhas esperanças estão todas depositadas no início do ano letivo. E, enquanto isso, eu tenho aprendido a me divertir comigo mesma e a ir dormir mais cedo.

Boa noite.

0 comentários:

Postar um comentário