Pages

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O que você se tornou Gabriela?

Aiai Gabriela, o que fazer com vc Gabriela?

Releio os últimos posts e penso: o que será de mim?
A verdade é que preciso de ajuda. A financeira todos já sabem, digo a psicológica mesmo.
Que eu erro, erro, erro. E não aprendo. Caio de escadas, lesiono joelhos, aranhas me picam, dores de dentes avassaladoras... e eu? Não aprendo. 
Realizo meu sonho da faculdade e estou há 1 ano atrasada.
E o que eu faço para mudar minha vida? Vou a festas e mais festas, durmo até o horário do almoço e não tenho dinheiro nem para fazer as sobrancelhas. 

Quem é você Gabriela?? O que você se tornou Gabriela??

Sabe o que eu descobri? 
Que a doença do momento é a depressão, e que o mal da sociedade é a droga.
E sabe do pior? Vivo na linha tênue desses males.

Segundo mês de aulas na faculdade e eu apareci em apenas um. Perdi provas, trabalhos, relatórios, laboratórios, e mais um semestre da minha vida.
E por quê? pelo quê?
Não sei dizer. Só sei dizer: preciso de ajuda.

Não existe um culpado além de mim mesma, existe? 
A pobreza, os vícios, os problemas familiares/espirituais, as carências afetivas, as más companhias, minha classe social... 
A culpa é minha por ser fraca e burra, simplesmente?


Me aconteceram umas coisas bem sinistras nos últimos tempos. Não sei bem se sinistra é a palavra, mas foi a primeira que me veio como descrição quando pensei nos eventos brevemente.

Carolzinha ficou solteira, pós isso abracei a causa de amiga parceira e abandonei todo o meu mundo acadêmico. Festa é meu sobrenome, bebidas... ganja... cigarros... garotos...
Thales naqueles rôles destrutivos (percebo que todos os meus amigos são meio frágeis, vulneráveis).
Ana se afastou, Léo... Juan... Jô...
Quem são essas pessoas para mim e para si mesmas? 

Saí com o amigo Uber. Esse, sem sombra de dúvidas têm sido o meu melhor erro. 
Melhor no sentido de me salvar de algumas depressões. Mas mesmo ajudando, continua sendo um erro. Um gravíssimo erro. 
Deus me perdoe por brincar com os sentimentos dele. Deus me perdoe, Deus por favor me entenda.

Gustavo voltou a assombrar meu coração. Assumiu-se cafajeste e eu me assumi louca de pedra. Louca de pedra, louca por ele.
A merda toda é que eu realmente sou louca por ele. Submeto-me a situações absurdas, participo de cenas cômicas, construo laços invisíveis.
A perdição nisso tudo é que um encontro é sempre melhor que o outro. Ou seja, a última memória sempre instiga a um próximo reencontro. E deus, ele é tão gostoso. Todo gostoso.
Porém, não vale nada. Nada, nada, nada. A ponto de ter uma namorada e achar "comum" me buscar meia noite pra ir pra casa dele. Achar coerente ter ciúmes de mim com meus gatinhos, dar shows de "não aguento te imaginar com outro".

Só me resta rir, não é mesmo? Rir da minha condição miserável, rir por ser 6:30 da manhã e eu não ter dormido ainda. Rir por ter plena certeza que mais um dia não irei para a aula.
Rir para não chorar.

Mas sabe, na última Fazenda eu tive uma experiência transcendental (obrigada amigo Uber).
Eu tenho salvação ainda. De verdade. 
Nunca é tarde para recomeçar.
Nunca é tarde para mudar.

Pensei num plano já: Refazer o vestibular. Reconstruir minha personalidade. Refazer minhas verdades. Renovar minhas companhias, repensar meus valores.

Sei que parece difícil lendo tudo isso junto assim. Mas eu tenho 4 meses para fazer isso. Para mudar minha vida, para recomeçar da onde eu parei.
Só preciso de ajuda. Ajuda e força. Força e disposição. Disposição e Objetivo.
Deus me ajude.




 


 

sexta-feira, 10 de março de 2017

Foco, força e fé

Início de semestre, fiz tudo o que não poderia ter feito.
Ai meudeus, me ajuda.

fiz umas loucuras tão divertidas que nem sei como explicar.
Findi véspera de aulas teve só pedrada.
Encontro com o gato do carnaval, aniver Carolinda, aniver negão piranha.
De quebra reencontro da galera da facul, só rolê inconsequente. Ai meudeus.

Vim pra dizer que tô melhor, que minha nova trilha sonora é um baita de um rap. Bk, pesquisa no google. #ficadica
Essa semana viajei um monte, mas não pode mais.
3h da matina, amanhã tenho aula. 7:30.
O que fazer?

vou me programar pra ir. Deus me dê forças.

Sobre a vida amorosa, ehhh. Já esteve pior. kkk
Escorpiano chega amanhã na ilha; carnaval rendeu; novinhos nervosos.
é o que dá pra revelar por hoje.

Ando me sentindo meio blindada, sabe? Sem muitas expectativas pra relações amorosas.
Preciso focar em estudar na moral.

Grata que a menstru veio, sempre um drama, tenho que parar com isso também.

Por favor Gabriela, por favor.

Preciso ir nessa. Pesquisar mais umas coisas sobre a facul, e me agilizar.
FOCO, FORÇA E FÉ.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Despedida

Olha que tô achando que lua em peixes me abala pra cacete hein.
Gosto de reler o ultimo post antes de escrever o próximo. Acho que pra fazer um breve balanceamento. Sei lá.
Lua entrou em Áries hj, mas os resquícios de peixes rodeiam, rodeiam...

Hoje o dia começou melancólico já, com meu melhor amigo meio que se "despedindo", dizendo que precisava dar um tempo de mim.
Não entendi nada daquilo, continuo sem entender.

1:30 da matina, observo pela janela meu vizinho gato se despedindo da namorada. Cada um entra no seu carro e seguem o mesmo caminho. A chuva volta a cair pelo terceiro dia consecutivo, e eu aqui. Pensando: Como estarei no centro amanhã as 9:00 ??
E chuva e mais chuva.

Chuva lá fora, chuva dentro de mim.

Noite passada sonhei com o ex. Com o ex e sua nova família. Com pessoas, familiares, brigas, lágrimas.
Foi um sonho pesado, acordei arrasada. De quebra ele me manda mensagem de sdds, de desabafo.
Desculpa, não sei como posso ajudar.
Só sei de mim.
De mim e de como isso dói por dentro quando paro pra pensar.

Pensar tem doído ultimamente.
Pensar na vida, na minha família, meus amigos, amores...

Hoje também esbarrei no carro do Gustavo. Lá. Parado. Aquela placa, o vidro com película. Aquela placa.

Eu sei lá como me sinto, todos os dias tenho respondido a essa pergunta tão friamente igualmente como ando levando minha vida amorosa.

Hoje deu saudades de amar. Saudades de ter com quem contar. Principalmente porque meu grande melhor amigo decidiu por despedir-se.
Que loucura. Despedir-se. Logo de mim. Lua em câncer.

Minhas paqueras não tem sido emocionantes como deveriam.
Talvez um Tinder dê uma movimentada na minha vida, não sei.
Ou quem sabe eu precise mesmo é de um amor.
Ou não também.
Não sei de mais nada.

Minha menstruação está há 1 dia atrasada. Deus não faria isso comigo novamente não é mesmo?
Ou será eu que não aprendo?
Não sei também.

Acho que pode ser toda essa comida que eu ano ingerindo: 2 miojos, 2 ovos com batatas, canecas d feijão, pães, leite muito leite...
O que será que estou fazendo comigo mesma?
Ou será a ganja...?

Aquela música do Maglore mexeu tanto comigo. Aquela foto dos meninos mexeu tanto comigo.. Os 3 tão pequenininhos, o bob tão recente.

"Sei que não deveria, mas sinto saudades."
_Eu também Anderson, eu também.
Mas o que posso fazer? Como eu poderia adivinhar que Deus faria isso com a gente? Como eu poderia adivinhar que eu mesma faria isso com a gente?
Vou te amar por toda a minha vida. Me perdoa. Siga em frente. Seja feliz.

Só espero tudo isso passar. Espero que Thales volte logo, que dia 20 chegue voando, que tudo pfv pfv mesmo, se resolva.
Vou ouvir uns mantras, rezar um pouco. Pedir uma ajuda divina.

2h da manhã. Não aprendo mesmo.

"Boa noite Gabriela, não fica assim não. Vai ficar tudo bem. Reza que tudo vai ficar bem."
PS: alguém me ajuda a parar de fumar.

Maglore - Despedida

Doce o correr do mar, errante nos sentidos.
Boca a se encontrar na sorte de um abrigo, teu que lá
Vale a pena navegar em Titubear
Quando esconde esse sorriso, vem em vão
Pois não voas para mim.

Porto de minhas horas sãs, são horas descontentes.
Voltas quando quer chegar num ponto diferente.
Então e eu, pouco sem razão até pensei no todo que perdeu a fé
Em vão, pois não voltas para mim.

O que se perdeu, perdeu a forma e o sentido
Quando vimos outro eu, tu e outros coloridos
Em pensar na pena de se reencontrar
Virá de novo pra nos machucar
Então guardo o teu cheiro em mim.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Viva la vida

Lendo agora meu último post, pensei imediatamente: Puxa, que loucura.
Loucura que em tão pouco tempo (menos de um mês) tanta coisa mudou dentro de mim.

É muita loucura ter um blog "secreto" aos 23 anos pra conversar consigo mesma? Sei lá, essa lua em peixes tá bem confusa.

Abrindo os trabalhos aqui, os dilemas agora são outros. Completamente diferentes, diga-se de passagem.
Primeiro que encontrei o amor da minha vida. Impaciente, grosso, rabugento. Mas é o amor da minha vida.
Um parceiro pra vida, uma coisa muito louca.
Ele quem me tirou da fossa do geminiano cafajeste. Sem ele, eu estaria exatamente como no último post. Me sentindo triste, feia, depressiva.
Com ele não tem tempo ruim, falta de grana, locomoção, companhias, parcerias, amigos, gatinhos...
com ele conheci uma versão do mundo que não conhecia. Meio sombrio, real demais. Carnal demais. Viciante, glamouroso.
Um mundo em que a Gabriela é bonita, simpática, atraente, carismática. As mulheres olham, os homens cobiçam.
Falta muito ainda pra ser como eu gostaria, meu joelho não tá bom ainda. Mas nunca me senti tão bonita e atraente como aos 23 anos, 2017.
A propósito, tô com uma mania bem feia de mentir minha idade, digo que tenho 22. Não sei bem a coerência de mentir um ano a menos, mas minto. Me sinto mais jovem aos 22.

Depois das semanas depressivas, depois de tantas festas, pessoas, pensamentos... me tornei uma Gabriela diferente. Mais impaciente, confesso.
Porém muito mais confiante. Sinto a perseverança fluindo em mim agora. Sinto a realidade do fato de nascermos e morremos sozinhos. De termos de ser sozinhos. De conseguir tudo por nós mesmos. Através dos nosso sacrifícios e disposições.
Com ele aprendi que mulher é outro nível. Que se quiser mesmo mesmo, alcança o topo, domina o mundo.
Só tenho a agradecer a Deus por tê-lo colocado em minha vida. Por ter me dado a oportunidade de comprar aquele ingresso pra Life, pro Paranormal Atack e skazii, que foi inesquecível.

Agora meu dilema eh grana. Money. Que amor que nada. Money. Money que é good nós não have.
Minha geladeira nunca esteve tão vazia, as dívidas do meu pai se multiplicam a cada dia que passa. Uso roupas emprestadas pra sair, só tenho um par de sandálias bonitas. Fumo sem ter dinheiro pra bancar meu próprio cigarro, e na night tenho no máximo 20 reais pra gastar. (15 reais e um maço de cigarros como falo normalmente pra zoar minha decadente situação).

Reveillon foi magnífico, até o fato de ter que ir "de gatinha" me salvou de uma bad daqueeelass!
Tenho detonado um pouco meu organismo: mtas festas, bebidas, cigarros, afinss, adereços....
Mas tenho aproveitado absurdamente minhas férias, minha juventude, minha solteirice.

Ando com alguns pretendentes, ando conhecendo pessoas de todos os tipos e lugares... ando curtindo, dançado, emagrecendo.
Ando bem, me sentindo bem comigo mesma.

Me afastei da minha família, é verdade.
É que ando sem paciência, sabe. Pra esses problemas tão bizarros que eles possuem. Problemas causados por eles mesmos. Problemas que só eles mesmos podem resolver, porém ficam dando voltas... se amarrando... fazendo-me sentir pena.
Odeio sentir pena. Sentir que só Deus mesmo pra ajudá-los. E eu não sou Deus. Eu sou a Gabriela. que ajuda como pode, mas que tem sua vida, seus sonhos, seus planos, suas vontades, ambições, ideias...
Não sou obrigada. Não sou mesmo.
Não sou empregada, nem babá, nem operacional de empresa, nem nada.
Sou estudante.
Apenas isso, estudante.

Estou de férias (inicialmente involuntariamente), e em março minha vida volta ao planejado. Ao almejado.
A vida é mais.
O mundo é enorme.
Nada tem replay.
Nada se leva.

Aproveite o momento, curta, agradeça, comemore.

Queria falar mais, muito mais. Me agradecer, me orientar, me impulsionar.
Mas tô morrendo de sono, e amanhã tenho muitos afazeres.


Vim só pra esclarecer que Gustavo já era. Sinto sdd as vezes, mas mt as vezes. E nada mt incontrolável.
Pra contar que tô feliz apesar do Ariano não valer absolutamente nada. Que meu taco é mesmo forte, e que não há nada que eu não possa ser/fazer.

A vida é linda, é bela. Viva la vida.

PS: Tô de boas pq meu pai fez sacolão e tô com várias batatas, maçãs, bananas e mamão. Caso contrário estaria arrasada. Rango aqui tá foda.