Pages

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O que você se tornou Gabriela?

Aiai Gabriela, o que fazer com vc Gabriela?

Releio os últimos posts e penso: o que será de mim?
A verdade é que preciso de ajuda. A financeira todos já sabem, digo a psicológica mesmo.
Que eu erro, erro, erro. E não aprendo. Caio de escadas, lesiono joelhos, aranhas me picam, dores de dentes avassaladoras... e eu? Não aprendo. 
Realizo meu sonho da faculdade e estou há 1 ano atrasada.
E o que eu faço para mudar minha vida? Vou a festas e mais festas, durmo até o horário do almoço e não tenho dinheiro nem para fazer as sobrancelhas. 

Quem é você Gabriela?? O que você se tornou Gabriela??

Sabe o que eu descobri? 
Que a doença do momento é a depressão, e que o mal da sociedade é a droga.
E sabe do pior? Vivo na linha tênue desses males.

Segundo mês de aulas na faculdade e eu apareci em apenas um. Perdi provas, trabalhos, relatórios, laboratórios, e mais um semestre da minha vida.
E por quê? pelo quê?
Não sei dizer. Só sei dizer: preciso de ajuda.

Não existe um culpado além de mim mesma, existe? 
A pobreza, os vícios, os problemas familiares/espirituais, as carências afetivas, as más companhias, minha classe social... 
A culpa é minha por ser fraca e burra, simplesmente?


Me aconteceram umas coisas bem sinistras nos últimos tempos. Não sei bem se sinistra é a palavra, mas foi a primeira que me veio como descrição quando pensei nos eventos brevemente.

Carolzinha ficou solteira, pós isso abracei a causa de amiga parceira e abandonei todo o meu mundo acadêmico. Festa é meu sobrenome, bebidas... ganja... cigarros... garotos...
Thales naqueles rôles destrutivos (percebo que todos os meus amigos são meio frágeis, vulneráveis).
Ana se afastou, Léo... Juan... Jô...
Quem são essas pessoas para mim e para si mesmas? 

Saí com o amigo Uber. Esse, sem sombra de dúvidas têm sido o meu melhor erro. 
Melhor no sentido de me salvar de algumas depressões. Mas mesmo ajudando, continua sendo um erro. Um gravíssimo erro. 
Deus me perdoe por brincar com os sentimentos dele. Deus me perdoe, Deus por favor me entenda.

Gustavo voltou a assombrar meu coração. Assumiu-se cafajeste e eu me assumi louca de pedra. Louca de pedra, louca por ele.
A merda toda é que eu realmente sou louca por ele. Submeto-me a situações absurdas, participo de cenas cômicas, construo laços invisíveis.
A perdição nisso tudo é que um encontro é sempre melhor que o outro. Ou seja, a última memória sempre instiga a um próximo reencontro. E deus, ele é tão gostoso. Todo gostoso.
Porém, não vale nada. Nada, nada, nada. A ponto de ter uma namorada e achar "comum" me buscar meia noite pra ir pra casa dele. Achar coerente ter ciúmes de mim com meus gatinhos, dar shows de "não aguento te imaginar com outro".

Só me resta rir, não é mesmo? Rir da minha condição miserável, rir por ser 6:30 da manhã e eu não ter dormido ainda. Rir por ter plena certeza que mais um dia não irei para a aula.
Rir para não chorar.

Mas sabe, na última Fazenda eu tive uma experiência transcendental (obrigada amigo Uber).
Eu tenho salvação ainda. De verdade. 
Nunca é tarde para recomeçar.
Nunca é tarde para mudar.

Pensei num plano já: Refazer o vestibular. Reconstruir minha personalidade. Refazer minhas verdades. Renovar minhas companhias, repensar meus valores.

Sei que parece difícil lendo tudo isso junto assim. Mas eu tenho 4 meses para fazer isso. Para mudar minha vida, para recomeçar da onde eu parei.
Só preciso de ajuda. Ajuda e força. Força e disposição. Disposição e Objetivo.
Deus me ajude.